Carvalhal

Apontamento Histórico:
Desde há milénios que por este território passaram Fenícios, Romanos e Árabes. De quando da fundação de Portugal ficou-nos a Torre Medieval, hoje conhecida como a Torre dos Lafetá. Existem notícias desta freguesia no decorrer da Idade Média, no século XIV o Carvalhal era chamado de Carvalhal de Soeiro Ferreira.
Nos finais do século XIV, o Carvalhal possuía já uma estrutura urbanística organizada, pelo que se percebe a partir da indicação da existência da Rua Direita.

Apontamento Histórico:
Desde há milénios que por este território passaram Fenícios, Romanos e Árabes. De quando da fundação de Portugal ficou-nos a Torre Medieval, hoje conhecida como a Torre dos Lafetá. Existem notícias desta freguesia no decorrer da Idade Média, no século XIV o Carvalhal era chamado de Carvalhal de Soeiro Ferreira.
Nos finais do século XIV, o Carvalhal possuía já uma estrutura urbanística organizada, pelo que se percebe a partir da indicação da existência da Rua Direita.
Chegam-nos também noticias das vizinhas aldeias de A-dos-Ruivos e do Sanguinhal.
A aldeia do Sanguinhal em 1527 contava com cinquenta a setenta moradores, aí vivia a família Rêgo, influente família obidense. Quanto a A-dos-Ruivos a sua existência é provavelmente muito anterior à nacionalidade, nos finais do século XIV , possuía uma igreja dedicada a Santa Catarina, era uma aldeia próspera e uma rota de passagem frequente de peregrinos e mercadores.
No numeramento de 1527 o Carvalhal ou também conhecido como Carvalhal de Óbidos era a segunda aldeia mais povoada do termo de Óbidos a prosperidade da igreja de S. Pedro do Carvalhal terá sido responsável pelo prestígio desta região.
O século XVI, foi seguramente o período áureo desta freguesia, a prová-lo a construção da Capela do Santíssimo Sacramento pela Rainha D. Leonor de Lencastre, esposa de D. João II. O Carvalhal integrava-se no termo de Óbidos e por consequência na “Casa de Rainhas”. A “Casa de Rainhas” é uma instituição com variados bens, entre eles a vila e termo de Óbidos, que eram doados ás Rainhas de Portugal desde D. Urraca a tradição manteve-se até ao século XIX.
É também de assinalar a construção, no século XVI, da Ermida de Nossa Senhora do Socorro pela família dos Henriques do Bombarral.
No século XIX, a freguesia do Carvalhal foi muito disputada, entre 1836 e 1855 deixa de pertencer ao termo de Óbidos, passando a pertencer ao Concelho do Cadaval. De quando da criação do Concelho do Bombarral a freguesia passou finalmente a integrar este concelho.
O património histórico, artístico, cultural e natural desta freguesia é riquíssimo, é um território rico também pelas suas gentes. Há um património a preservar e divulgar. Contamos convosco para essa imensa tarefa, conservar e reabilitar hoje para que as “gentes” de amanhã saibam de onde vieram, para melhor trilhar os caminhos do futuro.

Posted in Freguesia.